RECIFE E OLINDA

Compartilhe:


O pequeno porto de Olinda era pouco significativo, sem profundidade para receber as grandes embarcações que cruzavam o Oceano Atlântico. Por sua vez, Recife, povoado chamado pelo primeiro donatário de “Arrecife dos navios“, segundo a Carta de Foral passada a 12 de Março de 1537, veio a ser o porto principal da capitania.

A cidade do Recife tem sua origem intimamente ligada à de Olinda. No foral (carta de direitos feudais) de Olinda, concedido por Duarte Coelho em 1537, há uma referência a “Arrecife dos navios”, um lugarejo habitado por mareantes e pescadores.

A cidade do Recife começou com alguns pescadores e homens do mar que se estabeleceram na estreita porção de terra, que vinha de Olinda e se alargava para as bandas do extremo sul. Os pesados veleiros, que precisavam refrescar em águas bem abrigadas, livres da agitação do ancoradouro de Olinda, buscaram a sombra dos arrecifes, que se erguiam ao sul.

Imagem do Porto do Recife no século XVII
Imagem do Porto do Recife no século XVII

Assim surgiu o Recife, em função do velho ancoradouro situado entre os arrecifes de arenito e a península, onde se misturavam as águas do mar e as dos dois rios – o Capibaribe e o Beberibe.

A pequena colônia de pescadores fundada em 1537, numa localização privilegiada, chamou a atenção de colonizadores portugueses que fundaram um porto no local. Olinda era a capital da Capitania de Pernambuco e passou a escoar toda a produção de açúcar através deste porto.

A evolução das exportações acelerou as atividades portuárias e desenvolveu a povoação, então chamada Povoação dos Arrecifes, ou Ribeira Marinha dos Arrecifes. Esta prosperidade provocou a invasão holandesa. Estes incendiaram Olinda, fazendo com que um grande fluxo migratório chegasse a Recife. A Cidade iniciava uma nova fase.